Financiamento de moto sem entrada: veja como funciona

Todos os amantes de motocicletas certamente já pensaram em fazer um financiamento para adquirir a moto própria. Muitas pessoas ainda possuem dúvidas sobre esse serviço.

Trazemos neste post as principais dúvidas dos consumidores sobre o financiamento. Além disso, trazemos uma dica de como fazer o financiamento sem entrada.

Como funciona o financiamento?

O financiamento é um tipo de transação financeira entre o banco e o cliente. Funciona da seguinte forma: o banco fornece ao cliente o valor necessário para a compra à vista do veículo; o cliente, por sua vez, devolve esse valor ao banco de forma parcelada.

O cliente tem a liberdade de parcelar o valor em quantas vezes desejar. Ao mesmo tempo em que o banco possui liberdade para cobrar uma taxa pelo serviço. É um pouco difícil mensurar o valor cobrado pelo serviço, pois cada instituição financeira possui um valor diferente.

O que é valor de entrada?

O valor de entrada é uma quantia exigida como adiantamento do pagamento. Em geral essa quantia corresponde a, no mínimo 20%, do valor total do veículo. O cliente tem a liberdade de dar o valor que desejar, desde que seja a partir de 20% do valor total acordado.

Existe a possibilidade de financiar uma moto sem dar entrada?

Sim. Há muitos bancos e empresas de financiamento que oferecem a possibilidade de financiar uma moto sem entrada. Para isso, eles disponibilizam a opção de financiar 100% do veículo.

Quais são as instituições financeiras que fazem esse tipo de acordo?

Podemos citar duas que são bastante conhecidas.

Banco do Brasil: Essa instituição oferece prazo de pagamento de até 36 meses (três anos) e pagamento da primeira parcela em até 59 dias.

Banco Honda: Já essa financiadora dispõe de diversos modelos, além disso, é possível incluir no valor do financiamento as despesas das documentações, desde que custem no máximo 08% do valor total da moto.

Qual cuidado devo tomar em relação ao financiamento sem entrada?

O principal cuidado a respeito desse serviço é em relação aos juros. As empresas costumam aumentar os juros de acordo com a quantidade de parcelas escolhida. Sem contar que em várias situações as taxas são fixas, mas altíssimas. De modo que, ao finalizar o pagamento das parcelas, o cliente pode ter pago o dobro do valor inicial acordado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *